segunda-feira, 30 de março de 2015

Nossas escolhas dependem dos nossos atos: Capítulo 16

Olá amados leitores do blog Sei que vocês querem uma explicação do porquê de tá demorando tanto capítulo novo sair. Pessoal, estou sem PC e tá difícil postar. Esse foi feito as pressas para vocês, em um computador de uma amiga minha. 
Espero que gostem viu?? Beijos
Capítulo 16

 Continuação do capítulo anterior...

Felipe estava ali na minha frente com uma expressão de tristeza, devo ou não perdoá-lo?
— Felipe... eu bem... é lógico que eu te perdoo. O Senhor Jesus nos diz para perdoar não só uma vez, mas setenta vezes sete. E você é meu amigo. Eu te perdoo. Pode ficar tranquilo ☺

— Clara, muito obrigado! Garanto que você não vai se decepcionar comigo! Bom, eu tenho que voltar para a barraca da “Maçã do Amor” da minha tia. Eu disse que não ia demorar.
— Tia Vanusa? Posso ir até ela... Sabe por ontem, por faze-la sair de casa para comprar curativos e eu nem usei.
— Está bem. Vamos. Fica por ali. – Passamos no meio de uma multidão de pessoas alegres, coloridas, se divertindo. Me sentir uma criança de novo. E com Felipe ao meu lado então... Meu coração não sossegava. Era uma batida atrás da outra...

— Oi Tia Vanusa.
— Clara meu amor. O que faz aqui?
— Bom, digamos que minhas amigas meio que me arrastaram para cá.
— Acho que vou deixar as duas sozinhas. Tenho que carregar umas caixas com maçãs.
— Está bem meu amado. – Felipe sai carregando caixas. Ele era um rapaz trabalhador.
— Deus abençoe o Felipe. Ele me ajuda tanto desde que minha irmã morreu. Achei que ele fosse ser problemático ou rebelde, mas não. Ele é bom moço. – Falava a Tia Vanusa. — Só erra quando diz que não perdoa o pai dele. Meu coração fica tão triste. Quero tanto que esses dois se deem bem. Mas e você menina? O que acha do meu sobrinho?
— E--Eu... — Gaguejei, e fiquei com a leve impressão de que corei na hora. — E--Eu--u acho ele um bom amigo... Ele é estudioso e gosta muito da igreja..
— E como gosta! Só não vai todos os dias, porque tem que trabalhar naquela oficina suja. Eu já disse para ele sair daquele emprego, mas, ele gosta tanto de mecânica. Ai, ai. Só ele entende esses troços!
— He he..
— Sabe Clara, quando você apareceu na porta de casa, vestindo a jaqueta vermelha de Felipe, eu pensei: “Finalmente Felipe arranjou uma namorada, e nossa como ela é linda!”. Mas, aí ele falou que vocês são apenas amigos de escola, eu fiquei um pouco decepcionada. É como dizem a “esperança é a última que morre!”. E eu ainda tenho esperanças em vocês ...
— Bem... eu.. Tia...

Nesse momento chega um cliente e interrompe nossa conversa, e eu me sento na mesinha. Novamente, Felipe veem a minha mente. A tia dele também percebeu? Será se ela queria nos dois juntos? Ai, Felipe...

— Uma maçã do amor saindo. – Felipe aparece com uma Maçã do Amor na minha frente
— Não Felipe, eu não posso...
— É um outro pedido de desculpas. Aceita vai.
— Tá bom vou aceitar porque você tá de bom humor hoje.
— E quando é que eu não estou?
— Hum, quer mesmo saber?
— Acho que não. – Começo a dar risadas. Mordo a maçã do amor que estava deliciosamente grudenta.
— O parque nos faz esquecer muitas coisas ruins. A gente se diverte mais. Porém prefiro está na Casa de Deus. A alegria que Deus me oferece não é passageira. – Dizia Felipe
— Lindas palavras Felipe. Tenho uma pergunta: como você me achou no meio de tanta gente?
— Impossível não reparar no seu penteado de ''Sailor Moon''.
— He he he, engraçadinho. Então, a gente se vê na igreja mais tarde...
— Ok. Só vou guardar essas caixas.
— Então é um “Tchau”.
— Acho que sim. Tchau Clara– Disse sorrindo para mim. Dessa vez o “tchau” dele fora bem mais animado do que os outros. Era incrível como a minha relação com Felipe havia evoluído. Conversávamos normalmente, como bons amigos, pena que eu não o via só como amigo... Eu podia contar qualquer coisa a ele. Exceto dizer que estava apaixonada por ele, é óbvio! Ainda não era a

hora. Precisava falar com as meninas! Meu coração estava tão alegre. O dia de hoje estava sendo magnífico!

Vejo elas na lanchonete. Vou aproveitar e fazer uma boquinha também.

— Esse é o melhor hambúrguer que eu já comi na vida!!! — Falava Mila de boca cheia.
— Mila... não fale de boca cheia... É muito feio! – Corrigia Priscila, com seu jeito todo calmo e meigo enquanto sugava o copo de milk-shake com canudinho.
— Hummm, estão comendo e nem me convidam!!!
— Senta aqui, amiga e conta tudo o que aconteceu! — Exigia Mila.
— Vou querer essa batatinha- frita aqui. Aconteceu que Felipe não é o cara grosso que eu pensei que era...
— Ele tem um bom coração né Clara. – Falava Priscila.
— Tem Pri. Ele é um bom rapaz. Eu preciso me confessar pra ele.
— E porque não fez isso? Achei que tinha feito isso! Clara!!! — Berrou Mila.
— Deixa ela, Mila... Tudo tem seu tempo... — Meditou Priscila.
— Foi exatamente isso que ele me disse ontem lá em casa. “Tudo tem seu tempo”.
— É mais o tempo tá passando suas bobas, e a Shirley não brinca em serviço.
— Fica tranquila Mi. Felipe não gosta daquele tipo de menina. Ele mesmo disse.
— Ah tá, Clara. Menos mau. Mas eu quero agora é comer outro hamburgão.
— Mila... assim vai passar mal. –Alertou Priscila.
— Concordo. A gente tem que ir logo para casa, porque daqui a duas horas, começa o culto.— Meninas, eu posso ir para a igreja de vocês? – Pediu a Pri
— Claro que pode Pri. A gente ia ficar super feliz com a sua visita.
— Pri, acho que vou pedir para meu pai te buscar de carro, porque você mora muito longe. - Disse Mila
— Obrigada Mila. – Sorriu Priscila para nós duas. Perfeito. Felipe e Priscila iam aparecer na igreja.
Pagamos os lanches e fomos as três para a parada de ônibus, esperar nosso coletivo.

Assim que desci do ônibus, fui para casa correndo. Encontrei Júlia, engomado a roupa que ela ia usar no culto. Tomei um banho ligeiro, vesti uma blusa azul com uma saia jeans preta, peguei minha bíblia cor-de-rosa, desci as escadas, e esperei a Júlia na sala de estar, que como sempre, era uma lesma para se maquiar:

— Espera só um segundo. Beleza leva tempo tá Clara!
— Anda, Júlia. Você não ficar bonita em um passe de mágica!
— Há há há . To morrendo de rir com essa sua piada! Pronto! Vamos?
— Vamos! Já tá na hora!

Trancamos a porta da nossa casa e fomos à igreja em passos apressados.

Chegamos na igreja, uns 15 minutos atrasadas e todos os irmãos se viraram para nos ver. Como eu odiava isso. Odiava chegar atrasada! Felipe já estava lá. Mila e Priscila também. Estava feliz. O culto foi ótimo. Teve louvor, pregação, oração. No final todos demos as “paz do Senhor” uns aos outros. Estava morrendo de vontade para falar com Felipe, quando um conhecido apareceu na minha frente:

— Ei menina! Não fala mais com os velhos amigos?
— Nelson? Você por aqui?



♥Continua 

PRÓXIMO CAPÍTULO




Não saia sem comentar...





7 comentários:

  1. San demora mas quando posta....♥
    Meu Deus, quem será esse tal de Nelson??
    Curiosa....
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. he he essa sou eu.
      Não vou demorar para postar o outro.
      Promessa ^^.

      Excluir
  2. Respostas
    1. Huummmm.... Não deixe de acompanhar o blog ^^
      Novidades vem por aí..♥

      Excluir
  3. Nelson????? Agora fiquei muito curiosa, quem será esse garoto???
    Beijinhos da My ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não perca o próximo capítulo My. Novo personagem na área...
      Beijos♥

      Excluir
  4. Amei esse capítulo. O Felipe parece ser um fofo♥
    Adorei a bonequinha da Clara dançando.
    Bjão

    ResponderExcluir

❀¸¸.*♥*.¸¸.*☆ ❀
Não vai embora sem deixar seu comentário.
Sua opinião é muito importante para mim!♥
❀ ¸¸.*♥*.¸¸.*☆❀