sábado, 22 de agosto de 2015

Nossas escolhas dependem dos nossos atos: capitulo 24

Oi, oi pessoal. Saudades da WebSérie? Bom, para começar, o capítulo de hoje eu vou postar meio que sozinha. Minha irmã está mega ocupada com os estudos e provas e eu não quero que ela se desconcentre deles. Prometo fazer de tudo para postar no dia certo, mas, sem PC fica um "pouquito" difícil. Ah, a arte desse capítulo é mega antiga, que estava salva no PicasaWeb. Sem PC, sem programas  =(
 Então é esse o recado, espero que aprecie. Vamo que vamo!

Capítulo 24

Assim que eu disse que tomaria de conta do irmãozinho da Priscila, ela me passou o endereço de sua casa. Ela liga para a mãe dela, para confirmar que uma amiga iria cuidar de seu irmão. Me despedi da Rosane, dando um abraço nela e disse que segunda-feira faria outra visita. Mila também se despede e deixamos Priscila e Rosane no quarto de hospital. Alguém teria que ficar com ela, enquanto estivesse em observação por causa do acidente.

Falo para o meu pai que me candidatei à ser babá do irmão da minha amiga. Meu pai não disse nada. Só ficou preocupado porque eu faltaria o culto da noite. Mila e eu entramos no carro. Meu pai daria carona para ela ir para casa. Mostrei para ele o endereço da casa da Priscila. Ele sabia aonde era e me leva até lá. Uma tal de Vila Violeta.
Partimos para achar a casa da Priscila. Eram duas horas de viagem. E o trânsito também não estava ajudando em nada. Chegamos lá e era uma casa branca, enorme, de dois andares, com um lindo jardim de rosas na frente e grandes janelas de vidro, que deixava a casa com um ar mais chique:

— A Priscila é rica? —  Perguntei.
— E, amiga, você não viu nada. E olha que eu já vim aqui umas vezes e sempre me impressiono com o tamanho dessa casa. —  Dizia Mila
—  Bom, acho melhor eu ir. Tchau pai, chego em casa assim que eu puder. Tchau, Mila.
—  Tchau, filha. Que Deus te acompanhe.
— Tchau, amiga e juízo!

Dou tchau para os dois enquanto vejo o carro sumi no horizonte. Juízo? Sério, Mila? Até parece que eu sou desmiolada. Bato na porta e uma mulher alta, de cabelos curtos castanho-escuro, olhos cor de avelã, vestindo um terninho branco, abre a porta com um sorriso nos lábios vermelhos:

—  Oi.Você deve ser a menina, que a minha filha disse que viria. Ai como você é lindinha. Meu nome é Fátima, prazer. —  Ela era falante e muito enérgica. Priscila não parecia nada com sua mãe.
— Sou a Clara.
— Venha, entre. A Priscila ia cuida do irmãozinho dela hoje, porque a Nana ficou doente. Uma gripe terrível e eu não quero que ela contamine meu anjinho.  Mas, como a amiga dela sofreu um acidente, ela foi correndo para o hospital cuidar dela. Ai como minha Priscila é bondosa.

Entramos na casa. As paredes brancas deixavam o ambiente maior e mais arejado. Havia pinturas nas paredes, e réplicas de obras famosas. Reparo na mesa com vaso de lírios. A mãe da Pri devia gostar muito de decoração. O irmão da Pri estava deitado no sofá bege, usando uma camisa com o escudo do Capitão América e, com um chapéu de pirata na cabeça, assistindo "Piratas do Caribe: a maldição do pérola negra". Parecia totalmente entretido assistindo o filme:

—  Esse é o meu filho, André. Ele tem seis anos. Desde que ele assistiu esse filme, não para de assistir. Não sei como não enjoa. Querida estou atrasada para minha reunião do clube. O almoço já está pronto. Se ele ficar muito entendiado, é só dá um passeio pelo bairro, tá amore. Meu marido vai demorar muito hoje. Hora extra na empresa. Ai olha só essa hora. Fiquem com Deus, beijo, beijo, tchau.

E ela saiu apressada e entrou no seu carro fiat uno preto. Meu Deus! Como a mãe da Priscila era falante. Não lembrava em nada a filha calma e quieta. Me sento no sofá menor e assisto ao filme com Andrézinho. Ele se vira para mim meio confuso:

—  Oi! —  Ele diz
—  Oi. —  Retribuo
— Quem é você?
— Sou a Clara. Vou cuidar de você hoje?
—  E a Nana?
— Hã... Sua mãe disse que ela tá muito doente.
— Tô com fome, Clara.
—  Ah, tá... Vou colocar seu almoço viu?!
— Clara, você é amiga da minha irmã?
—  Sou sim.
— Você é muito "binita"! —  Acho que ele quis dizer "bonita", mas, não conseguir pela falta dos dentinhos.

Aquele garotinho além de ser mega fofo, era um mini-conquistador. Não sabia se sorria, ou se apertava as bochechas dele. Vou até o fogão e tiro a tampa da panela. Macarronada. Hum. Parecia deliciosa. Ponho a macarronada no prato de porcelana. Vou até a sala levar o prato do André. Ele faz um sinal negativo para mim:

— O que foi, Andrezinho?
— A mamãe disse que a gente não pode comer nesses "plato". Só no dia "especilau".
— Xi, é mesmo. Deixa eu trocar senão ela pode ficar brava.

Vou novamente na cozinha e vejo um prato e um copo de plástico do Mickey Mouse. Coloque a macarronada no prato. Aproveito e coloco suco de uva que havia na geladeira, no copinho.

André come o macarrão e bebe o suco entretido olhando para a televisão. Logo após, ele me avisa que fez algo:
—  Oh, oh. Clara eu "susei" o sofá da mamãe. Ela vai "bigar" comigo!

E agora? O sofá chiquérrimo estava sujo com suco de uva. E a culpa era minha. Era óbvio que André comia sentado na mesa e não assistindo tv na sala. Eu ia levar uma bronca logo no meu primeiro dia como babá! Precisa pensar em uma solução rápido. Lembrei: o removedor de manchas que a minha mãe sempre usava quando ia lavar roupa. Acho que tenho algum dinheiro aqui na minha bolsa. Tenho R$ 11,50. Acho que dá.

Troco a camisa suja de suco do Andrezinho, e visto ele com uma camisa com o raio do Flash. Céus, esse menino só tem roupa de super-herói? Pego a mãozinha dele. Tranco a porta. Coloco a chave da casa na minha bolsa de franja. Orando para que os pais dele demorassem a chegar em casa:

—  Andrézinho vamos fazer um pequeno passeio. Não conta nada para os seus pais viu?
—  Tipo missão "secleta"?
—  É, tipo missão secreta!

Andamos algumas quadras, acho que foram umas 20 quadras, minhas perninhas finas já estavam doendo até que avisto um supermercado. Aleluia senhor! Entramos e quase me perco de tão grande que era. Vou correndo para a ala de limpeza. Removedor de manchas, removedor de manchas, removedor de manchas, removedor de manchas. Ah achei. R$ 9,80! Isso é um roubo! Mas fazer o quê? Ou era isso ou levar bronca da mãe da Pri.

Andando mais um pouco pelo imenso supermercado, escuto uma voz me chamando. Como alguém poderia me reconhecer naquela imensidão:
—  Clara! Clara!

Era a tia do Felipe, dona Vanusa. Ela abriu um sorriso enorme quando me viu:
—  Clara, amada, como você tá? Faz tempos que eu não te vejo. Quem é esse menino lindo?
—  É irmão da minha amiga. Estou cuidando dele. E a senhora, o que faz aqui? Esse supermercado não é muito longe de onde a senhora mora?
—  É filha, é muito longe. Mas, é o único que faz entrega a domicílio. Sabe não posso carregar peso, e o Felipe tem estado tão cansado ultimamente.

Fiquei com vontade de perguntar sobre o Felipe, mas ela respondeu meus pensamentos:

— Eita que o Felipe demorou com essa carne. Como sempre homens! Optando pelo mais barato. Quer vim comigo?
—  Eu--Eu!- Pergunto surpresa. Acho que ele nem vai querer me ver. Eu furei com ele. Deve está zangado comigo.

Vamos com a tia Vanusa até a seção das carnes. Felipe estava olhando para carnes penduradas no gancho, como quem escolhe um filme para assistir. Assim que ele me vê, por incrível que pareça, ele abre um sorriso enorme:

—  Oi Clara, tudo bem?
— Tu--Tudo bem.
—  E esse garotinho quem é?
— Sou o André. Sou o ''namolado'' da Clara! —  Esse Andrezinho é mesmo um fofo.
— Puxa namorado da Clara. Então tome de conta direitinho dela. —  Brincava Felipe.
— Sim senhor! - Andrezinho fazia continência.

Fomos ao caixa. Tia Vanusa pagou as compras. Eu paguei meu removedor de manchas e de quebra, Andrezinho ainda ganhou um bombom da tia Vanusa.

Voltamos para a casa dele, apressadamente. Já havia passado da hora de voltar. Tava orando para que os pais ainda não estivessem em casa. Uma voz me chama. Esse eu reconheço. Felipe!

— Clara, espera. Nossa, que pressa é essa?
— É o seguinte, Felipe, Andrezinho derramou suco de uva no sofá da dona Fátima, e se ela chegar em casa e vê o sofá sujo, eu morro!
— Calma, garanto que não vai acontecer nada de ruim. Deixa comigo eu te ajudo. Tenho uma receita caseira na minha mente.
—  Jura? E cadê a sua tia?
—  Ela foi para a casa de uma amiga aqui perto. E como elas falam... Não se preocupe. Ela sabe ir sozinha para casa. Resolvi vim atrás de você.
—  Eba! Mais um amigo pra mim "blincar". Tô feliz! Tô feliz! —  Comemorava Andrezinho.


Aquela tarde foi mega divertida. E eu pensando que o Felipe iria ficar chateado comigo. Ele estava alegre. Ele brincou o Andrezinho de pega-pega, brincou com os carrinhos de brinquedo dele, e até jogou vídeo-game, deixando Andrezinho ganhar todas. O Felipe dava para ser um ótimo pai! Meu Deus! O que eu estou falando?

Felipe diz que vai limpar o sofá. Ele tira a jaqueta, ficando apenas de camiseta preta. Eu coro. Ele consegue retirar a bendita mancha de suco do sofá! Deus te abençoe meu amor!

Logo após, sirvo um lanche para Andrezinho, só que dessa vez na cozinha. Chocolate Nescau com biscoitos de aveia.

Assistimos tv juntos e logo, a mãe de Priscila, dona Fátima, aparece. Andrezinho corre até a mãe. Ela o pega nos braços:

—  Mamãe! Mamãe!
— Oh, meu amor. Que saudades! Vejo que não tem nada quebrado! Então foi tudo bem! Se divertiram?
—  Muito mamãe! A Clara é muito boa!
—  E quem é você? - Perguntou a mãe da Pri, olhando para o Felipe
—  É o Felipe. Ele é meu amigo mamãe! A gente "blincou" a tarde toda!
— Ai, Clarinha, muito obrigada pela ajuda. E muito obrigada também Felipe. Nunca vi o André tão feliz. —  Se ela soubesse a estória do sofá.

Bom, eu tenho que ir. Já anoiteceu e preciso ir para casa.
Tudo bem querida. Pode ir. E, ah, obrigada de coração por cuidar do meu anjinho. Tchau.

Felipe e eu nos retiramos. Acenamos para Andrezinho de longe.

Depois de tomar a decisão de tomar de conta do irmãozinho da Pri, e passar a tarde toda com aquele menino fofo, fiquei feliz por Felipe ter me ajudado com ele;

Então, como você se meteu nessa? Clara, a babá! Quer dizer que o Andrezinho é seu namorado?
— Pára, Felipe. É uma longa estória.
— Se quiser pode contar enquanto eu te acompanho até em casa...
— Não precisa, Felipe, sério! Você já fez muito por mim hoje e desde sempre! Tem sido uma amigão para mim!
— Você acha? Minha tia disse que eu tenho coração de pedra.
— Ah quanto a isso, eu acho que ela esta errada! E por falar nisso, você não devia ir pra casa com ela?
— Clara a essa hora, ela já deve ido sozinha para casa. Impaciente do jeito que é. Te contei sobre meu pai. Ele é muito cara de pau..
— O que foi?
— Me deu um celular novo, só para se desculpar pelas coisas que fez no passado. É mole? Sabe Clara, não tenho mais raiva dele. Tenho, sei lá, acho que é pena.
— Fico feliz que não esteja mais zangado com ele. Veja o lado bom. Agora a gente pode conversar pelo telefone.

Rimos juntos com o que eu disse. Ficamos um bom tempo ali, conversando. Era muito bom conversar com Felipe.

Pegamos o ônibus juntos. O ônibus estava lotado. Ficamos de pé. Descemos no terminal e pegamos outro ônibus para minha casa. Finalmente em casa. Fico em pé do lado de fora. Eu fico tentando falar o que sinto por ele, mas, não sai nada da minha garganta. Enfim, consigo falar:

— Felipe, manda um abraço para a sua tia.
— Vou sim. Tchau Clara. Durma com os anjos.

Tchau Felipe... Sonhe comigo... Até amanhã...


PRÓXIMO CAPÍTULO



10 comentários:

  1. Ai gente eu to amando!
    O Felipe tá tão prestativo! E o Andrezinho? Deve um amor de tão fofo!
    Poxa na hora que a Clara ia falar, não saiu nada!
    Posta mais San. Esperando o 25!

    ResponderExcluir
  2. Eita que o Andrezinho é uma fofura só. E o Felipe muito cuidadoso, ajudando a Clara cm sempre. E noossa, ele daria realmente um bom pai. kkk
    Deus abençoe vc e te de mais inspiração, em nome de Jesus.
    Kisses

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lary. O André é um amor de criança e o Felipe se apegou logo. ^^
      Obrigada amada e que vc seja abençoada em nome de Jesus

      Excluir
  3. Eu quero um Andrézinho pra mim !
    Amei o capítulo !
    Esperando ansiosamente o próximo !
    Beeeijos !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kelly
      Ai, ai que todo mundo amou o Andrezinho. Quero saber o segredo dele para tanta fofura ^^
      Em breve virá o 25.
      Beijão

      Excluir
  4. Oi Graça e paz! Li o 24°! Valeu agora terei que ler todos 😂😂😂! Bjoks

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, obrigada mesmo de coração. Eu fico muito feliz com seu comentário♥

      Excluir
  5. San, acabei de ler a história inteira, nem vi o tempo passar. Mas não devia ter feito isso, porque meu coração de leitora não aguenta toda essa emoção e a ansiedade na espera dos próximos capítulos
    Estou amando a história, me fez refletir sobre muitas coisas.
    Beijos! Que Deus te abençoe! ♡

    Posta logo o próximo!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Diná querida! ^^
      To dando um jeito para postar o 25, mas, pelo jeito, será só no próximo mês...
      Beijos

      Excluir

❀¸¸.*♥*.¸¸.*☆ ❀
Não vai embora sem deixar seu comentário.
Sua opinião é muito importante para mim!♥
❀ ¸¸.*♥*.¸¸.*☆❀