terça-feira, 29 de setembro de 2015

Maranata!

Olá meus amores... Faz dias que não atualizo o blog né? Devem até estar pensando que eu sumi da face da Terra.
Amores, estou aqui. Estou bem, e no post de hoje, quero falar algo maravilhoso para você: Maranata, Senhor Jesus!



Para quem não sabe, Maranata é uma expressão de origem aramaica que significa “O Nosso Senhor vem!”

Esses dias eu quebre minha cabeça para pôder escrever um post. E as ideias não vinham! Finalmente orei e encontrei uma luz. Lembram do eclipse? Pois bem... Ele me deu uma ideia brilhante!

domingo, 20 de setembro de 2015

Dica de filme: O Toque

Há quanto séculos não dou uma dica de filme né? Aqui vai um filme que amei!!! Leia tudinho meus amores! 

Nome Original: The Touch
Gênero: Gospel
Duração: 01:27:32
Classificação Etária: 10 anos

Sinopse:


Ao decorrer de sua vida, Hannah (Kristia Knowles) vivencia diversas experiências ruins, que deixam feridas profundas e um vazio imensurável em seu ser. No entanto, ao experimentar O Toque de Cristo, sua vida passa por uma incrível transformação.

sábado, 19 de setembro de 2015

Paciência...



Olá amados leitores. Tudo na paz de Deus?
Quem não é impaciente levanta a mão? Emoji Emoji
Tô impaciente igual à Anna aí da imagem acima. Emoji

Enfim, o post de hoje é sobre paciência! Ah, querida e doce paciência, como eu te quero!

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Carta para mim mesma

Quem é que escreve uma carta para si mesma, para ser lida e respondida 10 anos depois? Pois é, eu fiz isso! Eu tinha 12 anos e queria muito logo crescer e realizar todos os sonhos que estavam em minha cachola. E quando digo sonhos, eram muitos. Eu era bastante sonhadora quando criança, algo que perdi na idade adulta. Depois que crescemos, o mundo ser mostra frio, cruel, difícil. Achei a carta 10 anos depois, (acredita que eu tinha esquecido dela?) há alguns dias, na minha pasta de documentos. Fiquei feliz quando vi. A criança em mim se acendeu! Decidir responder a mim mesma, hoje, dia 18 de setembro de 2015.  (Ah sim! sou eu na foto aí em cima. Toda boba porque achei a carta...Imagina se fosse dinheiro $)

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Nossas escolhas dependem dos nossos atos: capítulo 28

Capítulo 28

♥Versão do Felipe (tá com um tempinho que ele não tem uma versão só dele!):

Eu te amo. Foi apenas isso que digitei no celular. Fiquei com medo de enviar aquela mensagem para ela. Medo de como seria a sua reação no dia seguinte. Medo da rejeição. Não era hora para esses pensamentos negativos. Minha tia disse-me uma vez que se eu não agisse, iria acabar perdendo a Clara para sempre. Nunca sentir isso por ninguém. É estranho... Meu Deus! O que eu faço? Envio ou excluo? Vou enviar... O pior que pode acontecer é ela dizer um “não”!

Reúno toda a coragem que ainda me resta e envio a mensagem. E espero o retorno. E espero, espero, espero... Até ficar cansado. Ela não me respondeu! Bom, deve ter acontecido alguma coisa. O celular deve ter pifado, deve ter ficado sem bateria, deve ter caído dentro da privada, ou simplesmente, ela não me respondeu porque me ver apenas como amigo, ou não respondeu porque me acha um idiota. Prefiro acreditar nas primeiras suposições. São menos cruéis do que a última.

O gatinho sobe na minha cama. Passo a minha mão na cabeça dele. É amigo... Somos dois solitários nessa vida. 

Você deve está pensando: “O Felipe é um molenga! É só chegar junto e falar para ela!” Não é assim. Não posso forçar uma pessoa a ter sentimentos por mim. O que eu posso fazer é esperar a resposta certa de Deus. 

Lembro de uma certa conversa que tive com Mike. Ele não é meu amigo e tão pouco o considero como um, porém, ele me disso algo que concordo profundamente com ele:
“Se você não fizer nada, vai perder a garota que gosta e ainda vai ser obrigado a vê-la namorando alguém que você odeia!"

Por um lado ele tinha razão.

Devo agir. Parar de ser tão... idiota! Eu tratei mal a Clara nos primeiros dias de aula. Depois comecei a ignorá-la. Acho que não sou normal. Tenho que parar com essas atitudes. Não é a toa que a minha tia acha que eu sou bipolar!

***

Soube que a Clara arrumou um emprego. Bom, ela não me contou nada. Ouvi a Rosane e a Priscila conversando sobre isso. Essa semana ela tem estado muito agitada. Correndo de um lado para o outro. Melhor deixar ela em paz. O trabalho cansa a gente. Não quero dá mais preocupação à ela com meus problemas. E olha, vou te contar: são muitos!

O primeiro problema, é que meu pai quer que eu vá passar as férias com ele. Estou achando estranho, porque pensei que quando o visse, eu o odiaria, mas não! Eu tenho dó dele, sei lá. Meu pai é rico. Dono de uma empresa que faz engenharia. Ele é muito triste e solitário. Daí dá para ver que dinheiro não compra felicidade. Conversamos muito pelo telefone. Às vezes, falo de Deus para ele, porém, ele sempre foge do assunto. Acho que ele não gosta de evangélicos.

Na oficina aonde trabalho o Mike me perguntou como eu estava indo com o plano de me confessar para a Clara:
— Tô indo devagar, né? —  Falei com um pouco de tédio.
— Tá indo devagar? Mano, você tem que falar logo para essa mina o que tu sente! Lembra daquela nossa conversa!
— E como eu ia esquecer? Você mesmo disse que se eu não namorar com a Clara alguém vai namorá-la no meu lugar!
— Exatamente! Fico preocupado contigo. Só isso!
— Se está mesmo preocupado comigo, então porque não larga essa vida mundana e se entrega para o Senhor Jesus?
— Acho que não chegou a hora. Sabe eu sou jovem.
— Também sou jovem e tenho Jesus como Salvador. Um dia, ainda te convenço e te levo para a igreja!
— Sei, sei. —  Como esse Mike era convencido.

***

Assim que vou embora para minha casa, minha tia liga para mim, para que eu compre comida chinesa no restaurante.

Assim que saio, um garoto ruivo me aborda. Ele acena de longe em uma mesa, acompanhado de duas pessoas e uma criança pequena. Espera, acho que já vi ele em algum lugar... Ah sim! Agora me lembro. Ele estava visitando a igreja Acho que a outra vez que o vi, foi no aniversário da Clara.
Ele acena para mim. Dou atenção à ele ou finjo que não o vi e vou embora? Ah! Muito tarde para isso, ele já está se aproximando:

— Ei, acho que já te vi em algum lugar não?
— Sim, eu estava no aniversário da Clara.
— Fernando, não é?
— Na verdade, meu nome é Felipe.
— Ah, desculpe pela confusão. Sou o Nelson.
— Eu já sabia. O que você quer comigo?
— Conversar... Algumas coisas.
— Coisas? Desculpa cara, eu estou exausto do trabalho.
— Eh... Mas, tenho algo para falar sobre a Clara. Eu sei que você gosta dela. Não adianta mentir. Só que a conheço desde menina. Não vou deixar ninguém conquistá-la.
— Não sei do que está falando...
— Sabe sim. Eu gosto muito dela. Estou me mudando para essa cidade no próximo ano, e vou logo avisando: a Clara é minha! Sou um partido melhor para ela! E sem contar que sou filho de um pastor!
— Quem decide isso é ela!! Agora com licença. Estou perdendo meu tempo aqui!
— É, vai mesmo!

Esse Nelson é um garoto muito problemático. Quem ele pensa que é? Ele quer tanto namorar com a Clara? Pois eu também estou disposto a lutar por ela! Não vou deixar esse mauricinho me humilhar! Deus me ajude nessa batalha! Não quero perder a garota que amo!

Vejo a Clara debaixo da luz do poste. Devia está esperando alguém. Ela estava linda naquele vestido. Era tão fofo quanto ela. Me aproximo e começamos a conversar. Devo falar que vi o tal do Nelson? Melhor não. Não quero irritá-la!

***

Eu não paro de pensar no que o Nelson falou! Estou para enlouquecer! Ele disse que vai lutar pela Clara! Ótimo também irei! Agora, estou com medo de viajar nas férias de dezembro e quando eu voltar, ter a péssima notícia de que ele e a Clara são namorados! Seria meu pesadelo!

Estou em um ônibus lotado, voltando do meu fatídico serviço. Vejo uma pessoa com o mesmo vestido fofo da Clara. Espere! É ela! Ela se aproxima de mim e eu abro um sorriso para ela. A única coisa normal no meu mundo turbulento.

Alguns minutos depois, vejo um cara se esfregar nela! Que cínico. Ele aproveitou que o ônibus estava lotado para fazer aquele sem-vergonhice. Aquilo me deixa furioso e eu acabo discutindo com ele. No fim, digo que a Clara era a minha namorada. Ele se afasta. Eu a abraço, protegendo ela desses maníacos sem caráter. Acho que não deveria ter feito aquilo. O rosto dela ficou vermelho!

Descemos no ponto final. Ela agradece pelo que fiz no ônibus:

— Eh...Obrigada... Me ajudou tanto lá no busão... —  Ela força uma risada. 
— Clara, eu disse que você era minha namorada, mas foi só parar afastar aquele mala-sem-alça...
— Eu queria que fosse verdade! —  Ela põe a mão na boca. O rosto dela fica corado.
— Clara... Tudo bem com você? —  Perguntei preocupado com ela.
— Tudo. Eu só sei lá... Eu gosto muito de você... —  Meu coração palpitou rápido quando ela disse aquilo.
— Gosta de mim?? —  Ainda estou duvidando
— Gosto... Muito... — Meu coração palpita sem parar.
— Clara... Ah... Vou me arrepender disso... —  Tomo uma atitude. Precisava tomar uma atitude.
— Arrepender do quê???
— Disso!

A beijo de surpresa. Não queria ter feito aquilo, mas, precisava. Eu a amo muito. Não quero machucá-la. Não quero magoá-la. Desculpe Nelson. Eu amo a Clara mais do que você. Os lábios dela eram tão doces. Olho para o rosto dela. Estava estática. Meu Deus por favor. Que ela não tenha entendido mal minha atitude! Digo boa noite e vou andando para minha casa.

Chego em casa e tranco a porta do quarto. Eu soco meu travesseiro. 

Burro! Idiota! Porque fez aquilo? 

Foi muito precipitado! É lógico que ela vai entender errado! Ahhhh! Como eu queria voltar no passado e não ter feito aquilo! Ela vai me odiar para sempre. Estraguei a nossa amizade.
Tenho certeza de que no dia seguinte, ela nem vai olhar mais na minha cara!

Não era hora para arrependimentos! Já estava feito!
Deus me ajude, por favor! Não quero perder a Clara!


domingo, 13 de setembro de 2015

Valorize sua vida

VOCÊ TROCARIA UM DIAMANTE NO VALOR DE R$ 390 MIL, POR ALGO QUE LHE CAUSE DANO IRREPARÁVEL?

A resposta pode instintivamente ser NÃO, porém muitas pessoas valorizam coisas que trazem mais danos irreparáveis do que benefícios.

 ANALISE: Quando uma pessoa valoriza um caso extraconjugal mais do que o relacionamento com a pessoa com quem assumiu o compromisso de casamento diante de familiares e amigos, estamos trocando o diamante precioso, quando trocamos conselhos de familiares que nos alertam para aquilo que estamos fazendo de errado, por conselhos de supostos amigos que querem nos convencer a fazer algo proibido e o perigoso (sejam drogas lícitas ou ilícitas), não seria também uma atitude tão irresponsável como a de trocar um diamante tão valioso por algo incerto e destruidor?

 Somos levado diariamente a atitudes que podem nos levar tanto para a presença de Deus quanto para longe Dele. ANALISE SUAS ATITUDES. Você já falou com Deus hoje? Você já leu a sua bíblia hoje (palavra de Deus)? Não culpe a Deus por suas atitudes, busque-o para auxilia-lo em suas decisões. Obrigado.

Autor: MARCIO ROGER


sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Nossas escolhas dependem dos nossos atos: capítulo 27

Mais um capítulo meus amores!!! 

Capítulo 27

Meu celular descarregou na parte mais importante de uma conversa decisiva, e para piorar, minha internet chegou ao limite! Ah! Minha madrugada não podia ser pior! Acho que posso perguntar para ele na escola! É! Farei isso mesmo! Se eu conseguir não ficar tremendo perto dele. Por que eu sempre me meto nessas situações embaraçosas? Abraço o ursinho que Felipe me dera de presente no meu aniversário. Trocaria o abraço naquele urso, por um abraço em Felipe...

terça-feira, 8 de setembro de 2015

Nossas escolhas dependem dos nossos atos: capítulo 26

Finalmente conseguir desenhar uma arte decente!!! É pra glorificar de pé igreja !! Mais um capítulo amores!! No final do capítulo, farei uma menção honrosa às leitoras!  Boa leitura! (Meu Deus, já estamos no capítulo 26??? Nem eu mesma acredito nisso!)

Capítulo 26

♥Continuação do capítulo anterior:

O caminho para o hospital era tranquilo. Encosto minha cabeça na janela do ônibus. A brisa toca meu rosto. Os fones de ouvido estão no volume máximo. Eu sei que muitas pessoas dizem que faz mal para a audição, mas eu gosto! Fazer o quê né? Quando coloco os fones, minha mente viaja. Só assim consigo sair desse mundo caótico. A cada dia que passa, fico mais confusa! Quero falar para o Felipe, o quanto eu o admiro! Tá, tá! ''Admiro'' é uma palavra fraca. Quero dizer o quanto gosto dele. Não! Quero dizer o quanto eu o amo. Viu? Não disse que sou confusa... E pra completar, sou uma completa abobalhada! O Felipe é tão inteligente, tão sério. O jeito como os cabelos negro dele caem por cima dos olhos... Ah! Melhor eu parar antes que meu coração pare de vez!

domingo, 6 de setembro de 2015

Dica de livro: Deus NÃO está morto!


Olá meus amados! Tudo na paz do Senhor? Faz um tempinho que não tem resenha sobre nenhum livro aqui no blog né?  Me perdoem amados. Tenho andado ocupada esses dias. O filhote está crescendo e tenho dado atenção (e muito mimo) para ele esses dias. Te amo Ezequiel! 
Bom chega de papo e vamos à resenha do dia: Deus NÃO está morto! Prevejo críticas nos comentários... Resenha em 3..2..1! 

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Tenha um coração puro!

“Bem-aventurados os puros de coração, pois verão a Deus.”(Mateus 5:8)

Ser puro de coração não é só se livrar de pensamentos impuros e cobiça. Inveja, raiva e amargura também podem contaminar nossos corações.

Como é que podemos nos livrar dessas impurezas?

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Nossas escolhas dependem dos nossos atos: Capítulo 25

Ei amados! Mais um capítulo para vocês! Estarei respondendo algumas dúvidas no final do capítulo. Boa leitura! (obs: Não tive como fazer o desenho da capa... Sorry  ) 
Capítulo 25

Queria poder passar o dia inteiro na cama. Meu corpo todo está doído. Deve ter sido por causa das brincadeiras exaustivas do Andrezinho. Nossa! Que canseira aquele menino me deu. Ainda bem que o Felipe me ajudou. Esses dias ele estava um doce comigo. E eu estou adorando. Não posso faltar aula essa semana. Já começou a semana de provas, ou como costuma dizer, "A Infernal Semana de Provas". Hoje seriam as matérias mais fáceis, como Arte e Geografia. Conversei demais com a Mila ontem por mensagens no WhatsApp. Acho que isso explica o ardor dos meus olhos.

Lentamente olho para o visor do meu celular. Meus olhos ainda se negam a abrir. Tomo um espanto quando vejo as horas: 7:30h.